Raiz de Davi
comentários

Ele não se esqueceu



Jacqueline Collodo Gomes

Palavra Semanal do dia 31/03/10 do site Viva a Vida com Jesus

“Então Pedro e o outro discípulo foram até o túmulo. Os dois saíram correndo juntos, mas o outro correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro. Ele se abaixou para olhar lá dentro e viu os lençóis de linho; porém não entrou no túmulo. Mas Pedro, que chegou logo depois, entrou. Ele também viu os lençóis colocados ali e a faixa que tinham posto em volta da cabeça de Jesus. A faixa não estava junto com os lençóis, mas estava enrolada ali ao lado. Aí o outro discípulo, que havia chegado primeiro, também entrou no túmulo. Ele viu e creu. (Eles ainda não tinham entendido as Escrituras Sagradas, que dizem que era preciso que Jesus ressuscitasse.)” João 20.03-09, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
Em frente ao túmulo onde Jesus havia sido sepultado, Maria Madalena chorava. Alguém havia tirado Jesus dali, pois o túmulo estava aberto, e o seu corpo não se encontrava mais sobre aquele leito.
Uma figura pacífica e cheia de luz estava, agora, bem próxima a ela. Com que amor a observava! Uma visão que transcendia o seu corpo físico, e alcançava o mais íntimo de sua alma, a aflição em qual jazia, em lágrimas. Quebrando o silêncio, tomou-lhe a atenção com doçura, perguntando: “- Mulher, por que você está chorando?” E apesar de tê-lo olhado no momento em que se dirigira a ela, Maria não o reconhecera.

“Quem é que você está procurando?”, perguntou-lhe Jesus. Ela pensou que ele era o jardineiro e por isso respondeu: “- Se o senhor o tirou daqui, diga onde o colocou, e eu irei buscá-lo.” João 20.15, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

De dentro de toda aquela aflição ela não pôde enxergar que falava diretamente com o Mestre amado, Aquele por quem tanto se desesperava. Mas Ele não se esqueceu dela.
De dentro das aflições em que tantas vezes jazemos, em lágrimas, olhamos para o Senhor, mas também não conseguimos reconhecê-lo, enxergá-lo; e tomados por tantas coisas a serem resolvidas quase não conseguimos nos lembrar mais Dele - só vemos, ouvimos e pensamos em dor. Às vezes, por um pouco de tempo, movidos por tanta dor interior nós acabamos nos esquecendo de Suas características, do que Ele é em nossas vidas, e do que pode fazer por nós, assim como os seus seguidores naqueles dias que sucederam a sua morte; mesmo assim Ele não se esquece de nós, como também não se esqueceu de nenhum dos seus discípulos. E Ele foi até eles para provar-lhes isso, e mostrar-lhes que o Seu amor e a Sua presença continuava a mesma, e agora muito mais constante já ressurreto; assim como faz conosco, diariamente.
Ele não se esqueceu de nenhum deles. Jesus ressuscitou, e foi para o Pai, mas não se esqueceu de nenhum deles, em nenhum momento! Mesmo antes de sua morte quando fora deixado por seus discípulos, e por aquele que dizia amar-lhe tanto (Pedro) (Lucas 22.31-32), Ele se lembrou dele e rogou em seu favor. Mesmo quando nós mesmos nos esquecemos do significado que Deus tem em nossas vidas, do que Ele representa; do significado que a morte de Cristo tem sobre a nossa história, e do que é servir a Deus, Ele não se esquece de nós; e está sempre perto, à distância de um simples clamor, que Ele logo colhe quando feito, colocando-se ao nosso lado pronto a nos ajudar, consolar, fortalecer, e transformar as nossas vidas!
Mesmo quando nos esquecemos do verdadeiro significado das datas que falam em Seu nome, a quais comemoramos, e nem lhes damos o foco e a importância que deveriam receber deliberadamente, e haver em nossos corações de forma natural, Ele ainda se lembra de nós; e com todo amor se aproxima de nós, observando e sondando os nossos corações nos momentos de aflição, e com doçura mostra-nos o Seu interesse por nós, em nos consolar e levantar, perguntando-nos do motivo das nossas lágrimas: “Por que você está chorando?” “Por que você está chorando, Maria?” “Por que você está chorando, João?” “Por que você está chorando, Ana?” “Por que você está chorando? De que está em busca?”.
Ela não pôde reconhecê-lo, mas Ele nunca esquecera seu nome, e nem a quem ele se referia; como nunca se esquece do nosso nome e de quem somos.
Havia um plano a ser realizado. Jesus foi até o fim para que isto acontecesse. Nós já fazíamos parte deste plano. Nós já éramos importantes no coração de Deus, desde o princípio, e Jesus sabia disso. Ele morreu e reviveu por nós! Este é o dia de nos lembrarmos daquele que nos amou primeiro, daquele que se lembrou de nós primeiro, e lhe oferecermos a nossa gratidão, as nossas primícias (o primeiro lugar em nossas vidas, pensamento, coração, e do motivo da nossa celebração). Nós estávamos no pensamento de Cristo em todos os momentos, até na morte na cruz. Ele sabia o nosso nome, e a nossa importância para o Senhor. Jesus não se esqueceu! E nós continuamos nos pensamentos e no coração do Senhor hoje!
Páscoa. Ressurreição. Os anjos proclamam ao Cristo vencedor. A morte não pôde contê-lo, Ele vive! Porque Ele não se esqueceu!

Oração: “Obrigada, Senhor, por ter nos considerado mais importantes do que um dia pudemos imaginar ser para o Senhor!”.


No amor de Jesus,
Jacqueline Collodo Gomes
http://www.vivavidacomjesus.com
Comentários
0 Comentários

comentários:

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários sem identificação.

 
Exibir/Esconder
Top