Raiz de Davi
Um comentários

Ilustração: Renovação de uma Águia

"Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão" (Is 40.31).

A águia vive até 70 anos. E a ave de maior longevidade da espécie. Entretanto, quando chega aos 40 anos, ela passa por uma verdadeira metamorfose. Suas condições físicas dão-lhe duas alternativas: renovação completa ou morte. Muito sábia, a águia procura um intransponível ninho, bem alto, em cima de um penhasco, e lá passa por um processo de renovação que dura cerca de cinco meses. E um processo longo e dolorido. Durante esse período, suas atividades cessam por completo.

Com essa idade as suas unhas estão compridas e flexíveis, o que a faz perder sua presa. Como o bico também se alonga e torna-se curvo, e não tem mais a habilidade necessária para derrotar suas presas, a águia passa a bater com o bico em uma parede rochosa até arrancá-lo. Depois de arrancá-lo, ela espe¬ra nascer e crescer o novo, para com ele arrancar suas velhas garras. Assim que isso começa a acontecer, ela dá início ao pro¬cesso seguinte: arrancar as velhas, grossas e pesadas penas, que não permitem mais ter a mesma habilidade em seus vôos. Suas asas estão direcionadas ao peito, atrofiadas. Passado todo esse tempo e o dolorido processo, a águia está renovada e dá o mergulho da renovação para viver mais 30 anos.

A águia tem características interessantes que a tornam ím¬par entre as aves. Sua forma de vida é usada pela Bíblia por meio de inúmeras ilustrações:

1. Voa alto, em até dez mil metros (Pv 30.18,19).

2. Não voa em bando.

3. É veloz. Pode voar na velocidade entre 160 e 300km/h, dependendo de sua espécie (2 Sm 1.23).

4. Há varias espécies de águias — a cinzenta, a imperial, a pescadora, etc.

5. Constrói seu ninho em picos de montanhas intransponí¬veis (Jó 39.27,28).

6. Visão aguçada. Seus olhos ocupam um terço do seu crâ¬nio. Portanto, pode ver uma pequena caça a centenas de metros. Dizem que ela pode enxergar à distância de dois mil metros em linha reta (Jó 39.28,29).

7. Tem apetite (Jó 9.26).

8. Quando precisa de alimento, desce às partes mais baixas, no mar por exemplo, para buscar suas presas.

9. Trabalha durante o dia.

10. Forte. Sua estrutura óssea em forma cilíndrica dá-lhe estabilidade.

11. Possui equilíbrio impressionante. Suas imensas asas mais
as penas do rabo, que se movimentam, dão-lhe maior equilíbrio.

12. Mesmo com grandes caças movimentando-se em suas garras, ela não perde o equilíbrio do vôo, mantendo-se firme (2 Pe 1.10).

13. Nunca deixa a presa escapar. Suas garras são pontiagu¬das e côncavas, facilitando a prisão da caça, desde um liso pei¬xe a um coelho.

14. Cuida de seus filhotes (Dt 32.11).

15. Quando velha, renova suas penas, bico e garras.

16. Renova-se. Em determinada fase da vida, ela vai para o mar, e depois de voar o máximo que pode para cima, desce para um mergulho, e conseqüente renovação (Sl 103.5). A partir daí estará pronta para viver o mesmo tempo que viveu até então. Alguns dizem que isso não passa de lenda.

Livro: Ilustrações para Enriquecer suas mensagens de Antônio Mesquita.

Comentários
1 Comentários

1 comentários:

  1. Ola! Navegando por ai achei seu blog. Surpresa boa. Vou segui-lo a partir de agora. Quando tiver um tempinho, vá visitar meu blog também, o Genizah. Se quiser parceria. me dê um toque por la!

    A paz!

    Danilo


    http://genizah-virtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Não serão aceitos comentários sem identificação.

 
Exibir/Esconder
Top