Raiz de Davi
comentários

Missoes: Chamado de todos, Missao de cada um (Blogagem missionária UBE - Eu participo)

Este é o tema da Junta de Missões Mundiais para a Campanha missionária 2008, que tem como divisa as palavras de Jesus conforme registradas em Mateus 28.19.

Ensinar é uma tarefa sublime. É através do ensino que os pais educam os seus filhos para a vida. É por meio do ensino que as escolas habilitam os alunos para exercerem a cidadania. É por meio do ensino que as igrejas preparam os seus membros para o exercício da fé, a fim de que vivam uma vida cristã plena, sendo sal e luz no mundo. Enfim, é através do ensino que as pessoas são preparadas para viver e vencer. Quanto mais ensino, mais crescimento, mais maturidade.

Os discípulos de Jesus foram bem preparados para propagarem ao mundo o que aprenderam. Eles receberam a missão de fazer discípulos e ensiná-los a guardar o que aprenderam.

Guardar o que aprendemos de bom é outro passo fundamental para uma vida cristã abundante. Os cristãos primitivos receberam muitos ensinos e princípios bons, e
na carta à Igreja de Filadélfia, Jesus diz: “...guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap.3.11).

Aprendemos muitos princípios bons e devemos guardálos e aplicá-los para abençoar outros, pois, caso contrário, perderão a sua utilidade. Destaquemos aqui um fato: todos nós temos consciência de que Jesus passou aos seus discípulos uma missão sublime, que é a de levar o Evangelho do Reino a todos os povos.

Nós também somos esses discípulos a quem Jesus se referiu. Entretanto, infelizmente, muitas vezes nos escondemos no meio da multidão. Pensamos corporativamente: achamos que esta tarefa – a missão – é da igreja ou de algumas pessoas especiais, e não de cada um de nós.

O apóstolo Pedro diz que Deus nos fez povo seu para que anunciássemos “...as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”(1Pe 2.9).
Nós fomos chamados para a salvação em Cristo e ganhamos uma missão: levar esta boa notícia aos outros.

Contudo, esta palavra deve ser individualizada: eu preciso pensar que a responsabilidade é minha. Eu fui chamado, fui convocado para anunciar as virtudes de Jesus aos povos. Isso fica mais claro quando lemos Efésios 4.11: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas e outros para pastores e doutores”.

Deus, na sua infinita sabedoria e soberania, vocacionou a todos e distribuiu dons a cada um com o fim de aperfeiçoar o corpo de Cristo, que é a Igreja, para o exercício de sua fé. Portanto, é nescessário que: “Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons dispenseiros da multiforme graça de Deus” (2Pe4.10). Isto quer dizer que a graça de Deus tem muitas formas de fazer o seu nome conhecido no mundo, e que nós temos o privilégio de fazer parte do Seu sublime propósito.

Portanto, concluímos dizendo que Jesus deixou à sua Igreja uma missão e um desafio que são muito claros, expressos neste versículo: “Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações”.

Todos nós fomos chamados para fazer parte do Reino de Deus, e cada um tem uma missão específica no propósito de expansão desse Reino. Faça a seguinte pergunta:
Qual é o meu papel neste projeto de Deus? Não fique de fora!



Texto de Pr. Lauro Mandira (Gerente de Missões da Junta de Missões Mundiais), publicado no site JMM - Junta de Missões Mundiais.
Pode ser encontrado nesse link JMM


Comentários
0 Comentários

comentários:

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários sem identificação.

 
Exibir/Esconder
Top